Chico Buarque e Maria Bethânia – Ao Vivo (1975)

Chico Buarque e Maria Bethania

Resenha do Lp

Chico Buarque e Maria Bethânia – Ao Vivo

Histórico! É a melhor definição que se pode dar ao álbum ao vivo que o Baú de Long Playing hoje nos traz, reunindo dois autênticos ícones de nossa música popular nos anos 1970 – Chico Buarque e Maria Bethânia.

Trata-se de um produto concebido à época em que os altos executivos da gravadora Philips/Phonogram, hoje Universal Music, precisavam agradar a todos os seus artistas então contratados. Foi nessa ocasião, por exemplo, que Elis Regina, ao completar dez anos de trabalho na empresa, ganhou de presente o memorável álbum que fez com Tom Jobim nos EUA. Mais tarde, foi a vez de Maria Bethânia ser questionada a respeito de qual mimo gostaria de receber por completar sua primeira década de sucesso. E ela não titubeou: logo pediu um show e um disco com Chico Buarque, o compositor mais importante de sua geração. Chico era então o artista mais perseguido pela censura do regime militar, que vetou inúmeras faixas do álbum “Chico canta Calabar” (1973), reunindo música da peça teatral de mesmo nome, escrita por ele e Ruy Guerra. Ele se viu obrigado no ano seguinte, a gravar um disco apenas como intérprete, “Sinal fechado”. Bethânia, por sua vez, realizava, em parceria com o diretor Fauzi Arap, shows mesclando poesia, música e altas doses de dramaticidade: “Rosa dos ventos, um show encantado”, “Drama”, “Terceiro ato: luz da noite” e “A cena muda”. Tudo isso deu à irmã de Caetano Veloso a experiência e a intensidade necessárias para encarar seu encontro com Chico, o projeto musical mais importante de Bethânia naquele momento.

Realizado na lendária cervejaria Canecão do Rio de Janeiro, o show estreou em 6 de junho de 1975 e permaneceu cinco meses em cartaz, perfazendo um total de 118 apresentações. As orquestrações ficaram por conta do maestro Lindolfo Gaya, sendo as bases rítmicas do Terra Trio e de Luiz Claúdio Ramos, com coordenação musical de Perinho Albuquerque e direção de Oswaldo Loureiro. E o álbum de hoje do Baú de Long Playing revive este grande momento. São dezoito composições, não só do próprio Chico como também de outros compositores, quatro interpretadas só por ele, seis por Bethânia e sete em dueto. Sete delas estavam então inéditas: “Sem açúcar”, “Gota d’água” (da peça teatral de mesmo nome), “Flor da idade”, “Bem querer”, “Cobras e lagartos”, “Vai levando” (mais tarde regravada a três vozes por Miúcha, Tom Jobim e pelo próprio Chico Buarque, com acréscimo de novas estrofes na letra) e “Tanto mar”. Esta última é apresentada instrumentalmente porque a letra foi proibida pela censura da época. A versão vocal, com alterações na letra, só apareceria no LP que Chico fez em 1978. “Sinal fechado”, clássico de Paulinho da Viola, tem aqui sua primeira gravação em dueto, explicitando a existência de um Brasil amordaçado e sonhando com possível liberdade no horizonte. No mais, uma regravação de “Gita”, de Raul Seixas, com Bethânia solo, e releituras de inúmeros clássicos: “Olê, olá”, “Sonho impossível” (versão de Chico e Ruy Guerra para um tema do musical “O homem de La Mancha”), “A camisola do dia”, “Notícia de jornal”, “Foi assim”, “Com açúcar, com afeto”, “Sem fantasia”, “Quem te viu, quem te vê” e “Noite dos mascarados”, esta encerrando o show e o álbum numa verdadeira apoteose. Enfim , um primoroso trabalho técnico e artístico, documentando a união bela e harmoniosa de dois opostos (um Chico discreto e uma Bethânia expansiva) em cena, como se fosse um diálogo entre velhos amigos, que se irmanavam através da música e da dor em comum. É ouvir e recordar.

Texto: SAMUEL MACHADO FILHO.

Álbum: Chico Buarque e Maria Bethânia ao Vivo
Ano/Gravadora:(1975) Philips 6349 146
Artista(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
• Gravado ao vivo no Canecão – Rio de Janeiro, em junho de 1975.
Edição sem corte entre fonogramas.
Acervo: Carlão
Formato: Vinil – 320 kbps

Fonogramas Lado 1
A01. Olê, Olá – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
A02. Sonho Impossível (The Impossible Dream) – (Joe Darion / Mitch Leigh / Vrs. Chico Buarque / Vrs. Ruy Guerra) – Intérprete(s): Maria Bethânia
A03. Sinal Fechado – (Paulinho da Viola) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
A04. Sem Fantasia – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
A05. Sem Açúcar – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Maria Bethânia
A06. Com Açúcar, Com Afeto – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque
A07. A Camisola Do Dia – (Herivelto Martins / David Nasser) – Intérprete(s): Maria Bethânia
A08. Notícia de Jornal – (Luis Reis / Haroldo Barbosa) – Intérprete(s): Chico Buarque
A09. Gota D’Água – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque
A10. Tanto Mar – (Chico Buarque) – Instrumental

Fonogramas Lado 2
B01. Foi Assim – (Lupicínio Rodrigues) – Intérprete(s): Maria Bethânia
B02. Flor da Idade – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque
B03. Bem Querer – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
B04. Cobras E Lagartos – (Sueli Costa / Hermínio Bello de Carvalho) – Intérprete(s): Maria Bethânia
B05. Gita – (Raul Seixas / Paulo Coelho) – Intéprete(s): Maria Bethânia
B06. Quem Te Viu, Quem Te Vê – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
B07. Vai Levando – (Chico Buarque / Caetano Veloso) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia
B08. Noite dos Mascarados – (Chico Buarque) – Intérprete(s): Chico Buarque e Maria Bethânia

Ao Vivo : Mega ….. ou ….. Zip ….. ou ….. File

Deixe uma resposta