Lourenço e Lourival – A Cruz Que Carrego (1977)

Lourenço e Lourival

Resenha do Vinil

Vinil Sertanejo Lourenço e Lourival – A Cruz Que Carrego

O Baú de Long Playing é hoje abrilhantado pelas “vozes de cristal”. É como a dupla Lourenço e Lourival costumava ser anunciada no programa “Linha sertaneja classe A”, apresentado nos anos 1970/80 pela Rádio Record de São Paulo.

Logicamente, eles são irmãos. Arlindo Cassol é o Lourenço, nascido em 5 de maio de 1939, e Antônio Cassol, o Lourival, nascido em 11 de setembro de 1942. Ambos são paulistas de Ribeirão Preto, a “Califórnia brasileira”. Filhos de lavradores, desde cedo pegavam direto nas enxadas, mas sempre sonhando com a vida artística. Nas horas vagas, transformavam as enxadas em violas, e latinhas velhas em microfones. Logo cedo, eles começaram a se apresentar na Rádio 79, no programa “Festinha na roça”, do Compadre Barbosa, como Maurinho e Toninho. Em 1959, acontece o inevitável: foram tentar a sorte em São Paulo, e após muita luta, foram contratados pela Rádio América, então coligada da Bandeirantes, para a qual eles se transferiram pouco depois, apresentando-se no programa “Serra da Mantiqueira”. Passaram-se, mais tarde, para a Nacional, hoje Globo, onde tiveram ilustres companheiros de trabalho: Tião Carreiro e Pardinho, Abel e Caim, José Fortuna e Pitangueira… Já como Lourenço e Lourival, lançaram seu primeiro disco, em agosto de 1960, pela Continental (selo Caboclo): um 78 rpm com o xote “Recordação”, da própria dupla, e a valsa “Comprometida”, de Lourenço e Nascim Filho. Ainda fariam mais duas bolachas de cera: uma pela Odeon, selo Orion, lançada em janeiro de 1963, com “Meu regresso” (Tuta-José Russo) e “Amor derrotado” (Garoa), e a última em 1964, pela CBS, editada por volta de setembro desse ano, com o arrasta-pé “Beija-flor” (Paulíbio e Paulébio) e o “Pagode da comparação” (Lourenço e Antônio R. Domingues).

Finalmente, em 1966, as “vozes de cristal” são contratadas pela Chantecler, e lançam seu primeiro LP, “Moreninha do convento”. E fariam mais de 40 álbuns, entre LPs e CDs, ao longo da carreira! Queridos e respeitados por fãs de todo o Brasil e até do exterior (como EUA, Japão e países do Mercosul), conquistados em mais de meio século de trabalho, Lourenço e Lourival têm como marcas registradas a simpatia e a humildade. Continuam gravando e se apresentando em público, mantendo viva a verdadeira música raiz brasileira. Entre seus maiores sucessos, estão “Canga do tempo”, “Se ainda existe amor”, “O telefone chora”, “Velha porteira”, “A garçonete”, “Como eu chorei”, “Anel de noivado”, “Menina da aldeia”, e “Franguinho na panela”.

Este “A cruz que carrego”, que o Baú de Long Playing tem hoje a grata satisfação de oferecer, é, cronologicamente, o décimo-quarto álbum de carreira de Lourenço e Lourival. Lançado em 1977 pela Chantecler (selo Sertanejo), o disco segue a linha de trabalho habitual da querida dupla, sempre fiel ao sertanejo raiz. A faixa-título, “A cruz que carrego” (Waldemar de Freitas Assunção e Timóteo), e a de abertura, “Armadilha do destino” (Praense) logo fizeram sucesso, mas, evidentemente, o LP tem muito mais. Waldemar de Freitas Assunção ainda assina, neste trabalho, “O mundo será o teu professor” (sem parceiro) e “O rico pobre” (também com a parceria de Timóteo). Parceiro do saudoso Peão Carreiro em outra dupla famosa, Praense (José Dercídio dos Santos) ainda comparece aqui com “Perdido de amor” (com Miguel Alves de Lima), “Herança de um beijo” (com Délcio de Oliveira) e a faixa de encerramento, “Amante da ternura” (sem parceiro). O próprio Lourenço assina, com Lourival dos Santos (um dos mais férteis compositores sertanejos que o Brasil já teve), “Meu coração de ferro”. Trabalhos de Juquinha (“Prefiro suportar a saudade”), Abel, da dupla com Caim (“Sentimento de pai”), Timbaúva (“Natal do homem pobre”) e Telmo de Maia (“O andarilho”) completam este elaboradíssimo disco, um dos melhores trabalhos da dupla. E agora, com vocês, as “vozes de cristal”, Lourenço e Lourival!

Texto: SAMUEL MACHADO FILHO.

Álbum: A Cruz Que Carrego
Ano/Gravadora: (1977) Sertanejo/Chantecler 2.11.405.180
Artista(s): Lourenço e Lourival
Acervo Áudio e Capas: Paulo Lucio (Visite: http://blogdopevermeio.blogspot.com)
Acervo de Selos: Evangelista (Visite: http://gentedeminhaterra.blogspot.com.br)
Formato: Vinil – 320 kbps

Fonogramas Lado A
A01. Armadilha do Destino – (Praense)
A02. A Cruz Que Carrego – (Waldemar de Freitas Assunção / Timóteo)
A03. O Mundo Será o Teu Professor – (Waldemar de Freitas Assunção)
A04. Prefiro Suportar a Saudade – (Juquinha)
A05. Meu Coração de Ferro – (Lourenço / Lourival dos Santos)
A06. Perdido de Amor – (Praense / Miguel Alves de Lima)

Fonogramas Lado B
B01. Sentimento de Pai – (Praense / Miguel Alves de Lima)
B02. Herança de Um Beijo – (Praense / Délcio de Oliveira)
B03. O Rico Pobre – (Waldemar de Freitas Assunção / Timóteo)
B04. Natal do Homem Pobre – (Timbaúva)
B05. O Andarilho – (Telmo de Maia)
B06. Amante da Ternura – (Praense)

Lourenço : Mega

Lourival : Zip

A Cruz Que Carrego : File

2 Comentários

Deixe uma resposta