Van Lynn – Música e Romance

Van Lynn

Resenha do Long Playing

O Baú de Long Playing oferece hoje uma raridade: trata-se de um dos muitos LPs gravados pelo compositor e maestro Van Lynn, este ainda no formato de dez polegadas.
David Gisbert Van Der Lynden, seu nome verdadeiro, era também conhecido como Dolf Van Der Lynden. Nasceu em Vlaardingen, na Holanda, em 22 de junho de 1915, filho de um vendedor de instrumentos musicais. Antes da Segunda Guerra Mundial, já havia tocado em diferentes bandas como pianista, além de nelas atuar como arranjador. Seus companheiros de banda começaram a chama-lo de Dolf, homenagem a um antigo integrante que tinha esse nome. Casou-se, em 1935, com Gerritje van der Linden, permanecendo com ela pelo resto de sua vida.
Em 1945, após o regresso de Dolf (ou Van Lynn)de seu exílio em Londres durante a guerra, as autoridades holandesas lhe solicitaram a formação de uma orquestra de música ligeira, nascendo assim a Metropole Orkest (Orquestra Metrópole), que logo ganhou notoriedade apresentando-se no rádio e na televisão holandeses, e realizando algumas gravações em disco.
Com renome dentro e fora da Holanda, Van Lynn é lembrado sobretudo como regente de orquestra em numerosas edições do Festival da Canção da rede de TV Eurovisão, acontecidas entre 1957 e 1971. Só não participou da edição de 1969, acontecida na Espanha, em virtude das tristes recordações que o regime do ditador Francisco Franco lhe trazia, dos tempos da guerra. Em 1977, ganhou o prêmio de melhor regente de orquestra do Festival de Nord Ring. Atuou ainda como maestro em orquestras da Inglaterra, Suíça, Noruega, Dinamarca, Bélgica, França e Israel. Como compositor, deixou um total de 180 obras.
No decorrer dos anos 1970, Van Lynn dedicou-se à modernização e ao rejuvenescimento dos integrantes de sua orquestra, e aposentou-se em 1980, sendo substituído no comando da Metropole Orkest por Rogier van Otterloo. Faleceu em Hilversum, na sua Holanda natal, em 30 de janeiro de 1999, aos 83 anos.
Van Lynn usou inúmeros outros pseudônimos em suas gravações, entre eles os de Daniel de Carlo, Gerald Blene, Alex Pinto e Guy Brain. O presente álbum, em dez polegadas, oferecido hoje pelo Baú de Long Playing, foi lançado originalmente em 1954, pela Decca, com o título de “South-american contrasts (Contrastes sul-americanos)”, tendo sido rebatizado pela Sinter, responsável por seu lançamento no Brasil, como “Música e romance”. É um repertório essencialmente romântico, conforme vocês poderão confirmar, assinado por autores mais ou menos conhecidos. Guy Brain assina “Tango del picaflor” e “Casa vieja”. David Bee vem com “Mexican interlude”, Carmelo Ibarra com “Avenida de Mayo”, Joe Fontaine e Bob Schoepen com “Love letter”, Hans Carste e Ralph Maria Siegel com “Evening bells”, Alfredo Corenzo com “Venezuela”, e Laguestra com “Fiesta in Cochabamba”. É portanto, mais uma raridade que se revela a vocês, graças ao Baú de Long Playing.

Texto: SAMUEL MACHADO FILHO.

Van Lynn e Sua Orquestra – Música e Romance (1954)

Álbum: Música e Romance
Ano/Gravadora: (1954) SLP-7730
Artista(s) Participantes: Van Lynn E Sua Orquestra
Artista(s) do Album: Van Lynn
Acervo: Eliane
Digitalização: Sepin
Formato: Vinil – 320 kbps

Fonogramas Face A
A01. Tango del Picaflor – (Guy Brain)
A02. Mexican Interlude – (David Bee)
A03. Avenida de Mayo – (Ibarra)
A04. Evening Bells – (Carste – Siegel)
A05. Casa Vieja – (Guy Brain)

Fonogramas Face B
B01. Love Letter – (Fontaine – Schoepen)
B02. Venezuela – (A. Corenzo)
B03. Fiesta In Cochabamba – (Laguestra)

Música e Romance – Zip

Música e Romance – File

Deixe uma resposta